Forbes – As três africanas no Top 100 das mulheres mais poderosas do mundo

Hilary Clinton (#2) em visita ao Malawi da presidente Joyce Banda (#71)

Três africanas figuram no Top 100 das mulheres mais poderosas do mundo no ranking publicado anualmente pela revista estadunidense Forbes. Neste Top 3 da África, a liderança fica com a presidente do Malawi, Joyce Banda, que está no cargo máximo deste país desde a morte de Bingu wa Mutharika, em abril. Ela aparece em 71º lugar, enquanto a ministra de finanças da Nigéria, Ngozi Okonjo-Iweala, é a 81ª colocada, uma posição acima da presidente da Libéria, Ellen Johnson Sirleaf (o engraçado no perfil desta última é o erro na ‘foto 3×4’, já que colocaram a imagem de Nelson Mandela).

A chanceler alemã, Angela Merkel é colocada no topo da lista, com a secretária de estado dos EUA, Hilary Clinton, em segundo e a presidente brasileira Dilma Rousseff em terceiro. A mandatária verde-amarela ficou, inclusive, na capa da revista da Forbes.

Confira os perfis das três africanas no site da Forbes:

(Tradução livre)

Joyce Banda

Em abril deste ano, Joyce Banda inesperadamente se tornou a primeira presidente mulher do Malaw, após a morte do Presidente Bingu wa Mutharika. Ironicamente, Mutharika e outros líderes políticos não queriam que Banda assumisse a presidência após a aposentadoria de Bingu, prevista para 2014, para apoiar o irmão mais novo de Mutharika, Peter Mutharika, como seu sucessor. Banda se recusou a seguir a linha do partido, formando o Partido do Povo em 2011. Como presidente, Banda continuou a mantendo suas convicções, vendendo o jato milionário presidencial, pedindo a prisão do presidente do Sudão, Omar al-Bashir, caso ele entrasse no Malawi e incentivando a revogação de leis que criminalizam a homossexualidade. Ela esteve envolvida nos direitos para crianças e mulheres desde a década de 90, fundando a Fundação Internacional Joyce Banda, em 1997, que tem orientado projetos para capacitar mulheres que oferecem educação para órfãos, assim como a Associação Nacional de Mulheres de Negócios em Malawi e Rede de Jovens Mulheres Líderes [Young Women´s Leadership Network].

Ngozi Okonjo-iweala

Quando Ngozi Okonjo-Iweala deixou o Banco Mundial, em 2011, instituição na qual foi diretora-gerente e segunda-no-comando, para se tornar a ministra das Finanças da Nigéria, as “sobrancelhas foram levantadas”. Portanto, não foi surpresa ver que ela estava na lista de candidatos, quando a organização realizou uma busca internacional por um novo líder neste mês de abril. O primeiro lugar foi para a escolha do presidente Obama, Jim Yong Kim, mas muitos dizem que Okonjo-Iweala foi de longe a candidata mais qualificada. Esta é a sua segunda passagem no Ministério das Finanças [da Fazenda] – 2003-2006 serviu Nigéria, sob a tutela do presidente Olusegun Obasanjo, cuja administração foi conhecida pela abertura a economia da Nigéria, a construção de laços estreitos com os EUA e estreitar laços com importantes empresários nigerianos. A principal conquista de Okonjo-Iwealafoi  assegurar a anulação da dívida de US $ 18 bilhões de credores da Nigéria.

Ellen Johnson Sirleaf

A primeira chefe de Estado do sexo feminino da África foi eleita para seu segundo mandato em um pleito controverso em novembro, poucas semanas depois de ter sido agraciada com o Prêmio Nobel da Paz por seus esforços para explorar, expor e reparar a história da guerra civil na Libéria. Ela ganhou 90,8% dos votos em uma eleição marcada pelo baixo comparecimento dos votantes às urnas. Johnson-Sirleaf se formou em economia na Universidade de Harvard e voltou à Libéria em 1972, para assumir o cargo no Ministério da Fazenda. Mas, depois de confrontos com seus chefes, e um golpe militar em 1980, começou a trabalhar como economista no Banco Mundial nos EUA. Sirleaf voltou à África para trabalhar nos escritórios regionais do Citibank, antes de assumir o escritório regional do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, cargo no qual se envolveu na investigação da falta de resposta das Nações Unidas ao genocídio de Ruanda.

Sobre fmvalmeida

Jornalista fascinado pela África, Esportes, Internet e tudo que esta profissão proporciona. Contato: fmvalmeida@yahoo.com.br Twitter: @fmvalmeida Facebook: /fmvalmeida
Esta entrada foi publicada em África, Libéria, Malawi, Nigéria com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Forbes – As três africanas no Top 100 das mulheres mais poderosas do mundo

  1. fernando mabunda diz:

    elas merecem… parabens africa

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s