Genocídio – Kagame do outro lado

O controverso general/ditador Paul Kagame está novamente envolvido em um genocídio. Diferentemente de 1994, quando ele foi o herói responsável por interromper um dos maiores massacres da história da humanidade, o governo de Kagame é o acusado da vez. O responsável pela denúncia é um relatório das Nações Unidas (ONU) que vem causando sérios conflitos diplomáticos no centro-leste da África e remoendo pertinentes fatos dos conflitos ocorridos no Congo, na década de 1990.

O governo de Paul Kagame é acusado de matar e violentar milhares de pessoas no Congo, entre 1993 e 2003 (Crédito: http://turtlebay.foreignpolicy.com/)

O governo de Paul Kagame é acusado de matar e violentar milhares de pessoas no Congo, entre 1993 e 2003 (Crédito: http://turtlebay.foreignpolicy.com/)

O documento, que deverá ser divulgado oficialmente nesta sexta-feira pela ONU (e que foi revelado pelo jornal francês Le Monde no fim de agosto), detalha paulatinamente as brutalidades cometidas e o caos gerado entre 1993 e 2003 no ex-Zaire. Ruanda, de Kagame, é apontada como um dos principais autores das mortes e violências vergonhosas citadas no relatório da entidade. O prazo para a revelação do documento foi dado pela ONU para que os “Estados interessados” pudessem fazer comentários que serão anexados ao documento. Estupros e extermínios com facões e porretes são alguns exemplos dos horrores nos quais os soldados de Ruanda e grupos congoleses aliados são denunciados.

O governo de Ruanda se prontificou rapidamente alegando que o relatório é “ridículo” e “malicioso”. Em seguida, ameaçou finalizar a cooperação militar com a ONU tirando os 3.300 soldados ruandeses do complexo território de Darfur, região do Sudão que vive um clima tenso por causa dos conflitos armados iniciados em 2003. Depois de um encontro com o Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, Paul Kagame decidiu rever sua ameaça e manter a ajuda ao exército ‘pacificador’ da entidade no Sudão.

Para mais detalhes sobre Paul Kagame veja o post do Pé na África do dia 20/07/2010. Outras informações sobre a repercussão internacional em relação ao documento da ONU podem ser encontradas na BBC, Reuters, Africanews, Guardian e no minucioso texto que foi publicado no portal BOL Notícias.

Sobre fmvalmeida

Jornalista fascinado pela África, Esportes, Internet e tudo que esta profissão proporciona. Contato: fmvalmeida@yahoo.com.br Twitter: @fmvalmeida Facebook: /fmvalmeida
Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Genocídio – Kagame do outro lado

  1. fmvalmeida diz:

    Uganda chama o relatório da ONU de “profundamente falho” e também ameaça parar a ajuda aos exércitos da entidade. O país possui, por exemplo, tropas vinculadas à ONU na Somália para frear o crescimento muçulmano no ‘chifre da África’.

    http://www.bbc.co.uk/news/world-africa-11443830

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s